logo

Comunidade Europeia do Carvão e do Aço e a relação com a usina NLMK Verona

25 Mai 2021 | 1446 Visualizações | Tecnologia | por Diferro

Componente importante para a economia mundial, o aço está presente em diversas cadeias produtivas. Ele é fundamental na produção de veículos, equipamentos, máquinas e construção civil, por isso, países que conseguem produzir aço detém consigo um grande poder econômico. 

Existentes em praticamente todo o mundo, minérios de ferro e carvão são desejados para a manutenção da indústria e da economia mundial. Hoje, já se sabe muito sobre extração e aproveitamento desses elementos, mas em tempos antigos, a Europa sentiu a necessidade de criar normas para a utilização de seus recursos naturais. Saiba mais a seguir.
 

Comunidade Europeia do Carvão e do Aço e a relação com a usina NLMK Verona

 A criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) 

Conflitos fronteiriços entre a Alemanha Ocidental e a França após a Segunda Guerra Mundial motivaram a criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço, em meados de 1951. Os recursos escassos e o colapso econômico na Europa pós-guerra geraram grande disputa pelo domínio do carvão e minérios de ferro existentes na região. 

Cientes de que o ferro existente no local seria de extrema importância para o resto do mundo e o futuro do desenvolvimento industrial, criou-se o Plano Schuman, que estabeleceu um conjunto de condições a serem seguidas por qualquer outro país europeu interessado em utilizar estes recursos naturais. 
 

Seus fundadores  

Inspirados pelo ministro francês de Negócios Estrangeiros e Jean Monnet (que foi o primeiro presidente da comunidade), participaram da fundação da CECA os países: Argélia, Alemanha Ocidental, França e Itália.  

Sendo assim, os países fundadores tinham direito à livre circulação de carvão, ferro e aço entre si e todos eles defendiam a instalação de indústrias siderúrgicas. 

Atualmente, a Itália ainda se destaca pela força na mineração e usinas, colaborando com este mercado para o título de nono país que mais exporta no mundo. Não é à toa que uma das maiores empresas no segmento, a NLMK, escolheu o país para a instalação de uma de suas maiores usinas. É da Itália que vem o aço para moldes plásticos da Diferro! 
 

Saiba mais sobre a Usina NLMK Verona  

Localizada no norte da Itália, a NLMK Verona fornece à Diferro os aços VR300, VR400, WNR 1.2738 e H13. A fábrica é reconhecida pela qualidade de suas chapas e pela flexibilidade incomparável na produção de diversos formatos. 

Sua capacidade de produção é de 450.000 toneladas de produtos por ano. A empresa emprega 260 pessoas e concentra seus esforços em seus conhecimentos técnicos.  

A usina conta com certificação ISO 9001 e ISO 18001. Além disso, dois terços de seus produtos são vendidos na Itália e o restante é distribuído na Europa, Ásia e nas Américas, inclusive para o Brasil. 
 


 

A Diferro está sempre em busca de produtos de alta qualidade e fornecedores extremamente confiáveis, para entregar ao cliente final o melhor material em aço possível. Por isso, ao escolher comprar conosco, você escolhe também comprar qualidade e credibilidade!

Achou interessante o texto que preparamos? Conheça também outras postagens em nosso blog, clique aqui e confira!

Não foi cadastrado nenhum comentário



Faça um comentário!

RECEBA NOVIDADES
EM SEU EMAIL