logo

Aço Monumental: Exposição Internacional de Barcelona de 1929

24 Abr 2024 | 160 Visualizações | Conhecimento | por Diferro

O Aço Monumental está de volta! Aproveitando este mês que é marcado pelo Dia do Aço, em 9 de abril, nossa série de blogs focada no grande uso do aço em construções famosas ao redor do globo voltou para falar de mais um monumento incrível na história. 
Hoje vamos falar sobre a Exposição Internacional de Barcelona de 1929, ou melhor, de parte de sua estrutura, onde o aço criou resultados incríveis nas mãos de renomados arquitetos. Quer saber mais? 


Continue a sua leitura!


O que foi a Exposição Internacional de Barcelona de 1929?
A Exposição Internacional de Barcelona foi um evento que ocorreu de 20 de maio de 1929 a 30 de janeiro de 1930, na cidade de Barcelona, na Espanha, precisamente na montanha de Montjuïc. A exposição tinha o objetivo de reunir diferentes países para apresentar novos progressos tecnológicos e projetar a imagem da indústria catalã no exterior. 


Países como Alemanha, Bélgica, Dinamarca, França, Hungria, Itália, Noruega, Romênia e Suíça, bem como alguns expositores privados do Japão e Estados Unidos, contaram com seus próprios pavilhões construídos especialmente para a ocasião para mostrar seus avanços. 
O pioneiro desta exposição, e que iremos dar destaque neste blog, é o pavilhão alemão criado pelo arquiteto Ludwig Mies van der Rohe, que trouxe a vanguarda do racionalismo e a modernidade para a exposição espanhola! 


A estrutura de aço do pavilhão alemão
O pavilhão alemão de Mies Van der Rohe e Lilly Reich para a Exposição Internacional de Barcelona de 1929 foi o ponto alto da modernidade. Este projeto, em todos os ângulos, demonstra a contemporaneidade e novas estratégias da arquitetura na época. 
Mies van der Rohe sempre frisou que, além da funcionalidade da estrutura, a arquitetura também deve mostrar a beleza de seu tempo. Pensando nisso, o pavilhão foi composto de aço, vidro e mármore. 
Trazendo inovação em suas escolhas geométricas e montagem precisa, o pavilhão transformou a arquitetura através do uso destes materiais. Nós, da Diferro, vamos explicar um pouco mais sobre o aço utilizado na estrutura, que foi muito benéfico para o resultado final visto por mais de 200.000 pessoas! 


Foram utilizadas oito colunas de aço cromadas na construção e em seus interiores, sendo quatro diedros equivalentes com perfis 4L e 4T, colocados regularmente em forma retangular, definindo o elemento de carga. A demanda estrutural ficou para postes delgados, permitindo uma planta baixa que cria uma nova qualidade espacial: um espaço fluído. Além disso, a união com os painéis de vidro, que oferecem luz natural ao espaço interior, criou mais transparência ao ambiente. 
O pavilhão possuía a proposta de “não ter nada a esconder”, de acordo com seus representantes, seguindo o final da Primeira Guerra Mundial e a situação da Alemanha na época, e de “menos é mais” segundo o próprio Mies van der Rohe, que participou ativamente de vanguardas arquitetônicas. O aço, com todas suas boas propriedades, pôde oferecer a sustentação certa, a excelente combinação com os demais materiais e, claro, a beleza e modernidade que o projeto buscava.
Após o fim da exposição, o pavilhão foi desmontado, mas a influência do projeto falou mais alto. Em 1980, uma réplica foi construída no mesmo local e segue de pé até hoje junto com as demais obras feitas para a Exposição Internacional de Barcelona de 1929, tornando-se a atração perfeita para arquitetos, designers e entusiastas da arquitetura de todo o mundo! 


E você? Já havia ouvido falar sobre este gigante do aço ou já teve a oportunidade de visitá-lo?

Para conhecer ainda mais sobre monumentos metálicos incríveis, continue acompanhando a nossa série de blogs informativos!
Explore o blog da Diferro e veja tudo sobre o Aço Monumental!
 

Aço Monumental: Exposição Internacional de Barcelona de 1929

Não foi cadastrado nenhum comentário



Faça um comentário!

RECEBA NOVIDADES
EM SEU EMAIL